Preocupação? Conheça 5 técnicas que funcionam para acabar com ela!

5 de fevereiro de 2018 0 Por valeriacavallari

PREocupação: Substantivo feminino, que nos dicionários por aí espalhados trazem as seguintes definições, dentre elas:

  1. prevenção, opinião antecipada, ou a primeira impressão que uma coisa fez no ânimo de alguém.
  2. ideia fixa e antecipada que perturba o espírito a ponto de produzir sofrimento moral.
  3. perda da tranquilidade de espírito, devida ao interesse ou sentimento de responsabilidade que se tem por certas pessoas ou coisas; cuidado.
  4. atenção dirigida exclusivamente a alguma pessoa ou coisa.
  5. pensamento dominante, que se sobrepõe a qualquer outro.

A palavra tem origem latina:

⊙ ETIM lat. praeoccupatĭo,ōnis ‘ocupação prévia (de um lugar)’

Tudo o que se refere a preocupar-se, diz respeito a algo que está no futuro. Portanto, fora do nosso controle. Tudo que é PRÉ, diz respeito a algo que se faz antecipadamente, previamente.

Preocupar-se é se ocupar previamente com o que ainda não aconteceu.

Qual o sentido disto?

Alguns podem considerar a ideia de que quem se preocupa com algo, está cuidando para que não aconteça o pior. Será?

A preocupação está longe de ser o que torne uma pessoa mais responsável. Já ouviram alguém dizer: ” fulano não se preocupa com nada! É um irresponsável!”

O irresponsável é um inconsequente, certamente. Mas, aqueles que não param de se preocupar com tudo e todos, não são necessariamente responsáveis. Até porque, se preocupam demais para agir.

Se preocupar não serve para nada, principalmente, porque quando nos preocupamos com alguma coisa ou com alguém é porque não sentimos que somos capazes de modificar o que nos incomoda. Geralmente, esse sentimento está em coisas que não podemos decidir.

Sendo assim, se sentir preocupado é uma armadilha do nosso inconsciente para nos tirar do foco daquilo que realmente interessa e pode nos levar a algo, a uma realidade mais concreta.

Além disso, dizer às pessoas que não se preocupem é outra coisa que não funciona. Então, aqui vai algumas técnicas criadas por quem já se preocupou muito à toa e se dedica ao estudo do comportamento humano e atua profissionalmente na área das emoções, eu mesma (rsrs).

1o. Se o que tiver te preocupando, realmente acontecer? Então, comece a se preparar para o pior, assim você se ocupa em minimizar os prejuízos o que irá fazê-lo sentir-se mais atuante e no controle.

2o. Tente, insistentemente, ficar numa postura de maior aceitação na vida. Às vezes, nos preocupamos demais porque queremos que tudo saia de acordo com o que esperamos. Na grande maioria das vezes, as coisas sairão diferente daquilo que planejamos. Manter-se aberto às mudanças, vai diminuir as possíveis rugas de preocupação, além de trazer novas soluções.

3o. Pergunte-se: ” se eu não estivesse tão preocupado com isso, o que eu estaria fazendo?” Provalmente, algo muito melhor e mais divertido! Pessoas leves tomam refrigerante como se fosse champanhe!

4o. Deixe fluir. Sinta-se merecedor do melhor e acredite, tudo vai se resolver de um jeito ou de outro, independente da sua preocupação. Não seja onipotente. Seja humilde.

5o. Agradeça, agradeça e agradeça. Você, certamente, é muito mais feliz do que é capaz de perceber neste momento por causa das suas preocupações. Se deixá-las de  lado por um instante e reparar bem nas coisas que possui e que, das quais, não gostaria de perder, vai sentir que o Universo tem ouvido suas preces.

A vida passa e você não está aqui para sofrer. Trate de sorrir e tirar o melhor que puder desta vida.

Valéria Cavallari

Psicóloga e Praticante Certificada de Cura Reconectiva e Reconexão